sábado, 26 de dezembro de 2009

Annabelle, há uma forte vida em sua pintura, e dentro dessas sombras há a revelação de um profundo caráter, uma dimensão deveras severa do olhar. Você se joga no fundo e por inteiro neste seu universo, imerso de mistérios, de signos e vozes, onde resvalam angústias. Mas não faz mal: a beleza, a grande beleza está em tudo. Tudo de belo a você. Queira receber meu abraço de grande alegria.

Carlos Bracher, Ouro Preto, MG.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

NO CAMINHO DAS PEDRAS

No caminho das pedras nascem raras flores.
A solidão, a dor e a tristeza acompanharam meus passos
Nessa jornada para chegar a mim mesma.
Ao longo da vida tive que suportar a raiva, a decepção e o deboche
de familiares, vizinhos, colegas de colégio e trabalho e de estranhos,
para ser fiel a mim mesma.
Fui ameaçada, aberta ou veladamente, por aqueles que deveriam ter me
protegido com punições e com rejeição.
Ainda assim segui ouvindo a música que vinha do meu coração.
Senti muito medo e vergonha.
Me vi errando e errante atravessei desertos.
Foram duras as lições que recebi.
Mas aprendi que para Deus não existem excluídos.
Deus não discrimina, não tem preconceitos.
Ainda sinto um pouco de medo, confesso.
Medo desse mundo que aponta as diferenças e as condena.
Medo dessa gente de rasa mente.
Mas sigo meu caminho sem vergonha de dizer que
Eu sou exatamente o que deveria ser: HOMO - GENTE.